Não o conheço. Trabalha aqui?

Não o conheço. Trabalha aqui?

Um destes dias deparei-me, durante um trabalho num cliente, com um grupo de líderes e notei que uma boa parte deles não se conhecia, pois a todo o momento faziam-se as seguintes perguntas: - Como é que se chama? Em que área trabalha?

Imediatamente, surgiu uma reflexão: - Qual é a importância de conhecer o outro com quem trabalho?

Sim, nós trabalhamos uns com os outros, mesmo que não estejamos na mesma área – somos parte da mesma organização!

Em dezembro de 2018 tratamos, num artigo de opinião denominado “Viver em sociedade e trabalhar com propósito”, sobre o tema organização. Permitam-me destacar novamente uma definição de Drucker (1999, p. 24) [1]:

[...] um grupo humano, composto por especialistas, que trabalham em conjunto em uma tarefa comum e [...], que ao contrário da sociedade, da comunidade ou da família – os agregados sociais tradicionais – uma organização não é concebida e baseada na natureza psicobiológica dos seres humanos, nem em suas necessidades biológicas.

Pois bem, o ser humano, pela sua natureza, busca o convívio em unidades sociais, seja no âmbito pessoal como profissional. A empresa é uma micro sociedade, ou seja, um conjunto de unidades sociais caracterizadas por profissionais, oriundos de outros grupos sociais, segmentados em áreas funcionais. O somatório dos objetivos de cada área leva ao sucesso dos negócios – vale sempre a regra de que a soma das partes leva ao todo!

A base de uma unidade social é o relacionamento dos indivíduos entre si. Entretanto, cuidado com uma armadilha que pode ser fatal para a sua empresa: preciso de relacionar-me dentro da minha área funcional, mas também com os integrantes dos demais departamentos. Esta é uma realidade inequívoca, ou seja, os trabalhos em equipa intra e interdepartamental são essenciais para o êxito de uma organização. Não é suficiente que a minha área tenha sucesso, é imprescindível que todas as áreas tenham sucesso, assim o interrelacionamento entre os indivíduos, independente da área a que pertençam, é um fator crítico de sucesso para as organizações.

A situação com que me deparei, citada no início deste artigo, demonstra que saber quem é o outro e o que ele faz é importante. Nós buscamos o tempo todo o reconhecimento – quem somos, o que fazemos e qual o nosso papel dentro da organização. Conhecer é reconhecer!

Você conhece a pessoa na área ao lado? Você reconhece as necessidades daquele departamento, seja ele cliente ou fornecedor interno? Como é? Cliente ou fornecedor interno? Sim, dentro de toda organização há uma interrelação entre áreas funcionais denominada cliente e fornecedores internos – back office apoia o front office e front office possui uma relação harmoniosa com o back office. Somos importantes, como áreas e profissionais, independente de sermos linha de frente ou suporte.

Imagine se um departamento que é fornecedor interno não conhece o seu cliente interno? E também se o cliente interno não conhece quem é o indivíduo que compõe a equipa que é fornecedora interna – como se daria esta relação no dia a dia? Receita para o insucesso, não é?

Ano após ano as nossas pesquisas demonstram a importância de contratar e acolher os novos colaboradores e também receber bem aqueles transferidos entre departamentos, além de inspirar, celebrar e compartilhar o sucesso obtido pela organização com todos os colaboradores e não somente com algumas áreas. São características que constroem o sentimento de equipa. Se nada é feito em relação a integrar as equipas, surgem os silos ou a sensação de que cada departamento é uma empresa diferente da outra e as recorrentes perguntas: - Como é que se chama? Em que área trabalha?

Vale reafirmar que estas características (integração e acolhimento, inspiração, celebração e compartilhamento) existem nas empresas independente do tamanho que elas tenham, do segmento de atuação ou de sua origem (nacional ou multinacional). Integrar, acolher, inspirar, celebrar e compartilhar são comportamentos e não técnicas ou políticas e práticas acessíveis a somente algumas organizações.

A última edição dos Best Workplaces TM demonstra que os excelentes lugares para trabalhar sabem:

  1. Contratar e acolher (86% do universo pesquisado está satisfeito com este aspeto);
  2. Inspirar (86%);
  3. Celebrar (86%)
  4. Partilhar (77%).

Como está o trabalho em equipa na sua organização? Caso necessite entender melhor o clima na sua empresa, contate um dos nossos consultores.

Convido-o a visitar o nosso site e a fazer download dos nossos e-books que tratam dos temas Contratar e acolher e Inspirar – brevemente lançaremos novos materiais para abordar conteúdos relacionados com o Celebrar e Partilhar.

Sucesso para você e para a sua empresa.

[1] Fonte: Fonte: DRUCKER, P. Sociedade pós-capitalista. São Paulo: Cengage, 1999.

 

 

 

 

ARTIGOS ASSINATURA PM

Vamos conectar-nos ?

 Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. | Linked In