MENU

Cabeça, Coração e Coragem sem desculpas : Como os World's Best Workplaces™ estão a mudar o mundo do trabalho

Cabeça, Coração e Coragem sem desculpas : Como os  World's Best Workplaces™ estão a mudar o mundo do trabalho

Quando um negócio diz que um dos seus valores fundamentais é "Open Company, No Bullshit",  é justo assumir que não se está a lidar com  um local de trabalho tradicional.

É essa a política que a empresa australiana de software Atlassian – responsável por ferramentas digitais populares como Jira e o Trello  - tem orgulhosamente implementado, exigindo que a transparência, a honestidade e o diálogo bidirecional sejam priorizados, ao mesmo tempo  que reconhece que a gestão não é infalível.  

"Não acertamos em todas as decisões, mas estamos sempre abertos", diz Erika Fisher, CAO e General counsel da Atlassian. "Acreditamos que assumir não saber algo como líder ou admitir um erro ajuda a fomentar a confiança em toda a empresa."

A Atlassian não tem medo de abanar algumas “penas”. A empresa tem tomado posições públicas sobre questões como as alterações climáticas, a justiça racial e os direitos dos eleitores. Mais recentemente, a Atlassian assinou uma declaração pública contra a lei anti-aborto no Texas.

"Os nossos colaboradores confiam em nós para fazer a coisa certa e, em última análise, contribuir para comunidades saudáveis para que eles vivam nelas", diz Fisher. "Sabemos que o acesso aos cuidados de saúde é uma grande preocupação... É da nossa responsabilidade usar a plataforma que temos como uma empresa global para nos erguermos e lutar pelos seus direitos."

Com este tipo de liderança e justiça social, não é surpresa que Atlassian tenha sido nomeado na lista dos World’s Best Workplaces™ 2021.  Este ano marcou a estreia da Atlassian, chegando ao 23º lugar.

A lista, produzida pelo Great Place to Work®, baseia-se em dados dos inquéritos anónimos que representam cerca de 20 milhões de colaboradores e 10.000 empresas em todo o mundo. A considerar, as empresas devem ser identificadas como empregadores globais excecionais, aparecendo em pelo menos cinco listas dos Melhores Lugares para de Trabalhar na Ásia, Europa, América Latina, África, América do Norte ou Austrália durante 2020 ou início de 2021.

A melhores empresas do mundo lideram com cabeça e coração

Os 25 vencedores deste ano destacaram-se por critérios como disponibilizar benefícios especiais e únicos, proporcionando salários justos e oferecendo oportunidades de formação robustas para os colaboradores se desenvolverem profissionalmente. Em média, 85% dos colaboradores dos melhores lugares para trabalhar do mundo dizem sentir bem-estar no trabalho, e mais de 90% dizem estar orgulhosos do seu empregador e que a gestão é honesta e ética nas suas práticas.

Outras empresas da lista, incluem a gigante tecnológica Cisco, a cadeia de hóteis Hilton e a empresa de software cloud Salesforce, todas elas no top 5 pelo terceiro ano consecutivo. A DHL Express substituiu a Cisco no primeiro lugar da lista de 2021, destacando-se, entre outras coisas, incluindo colaboradores na tomada de decisões que os impactam. Tal como a Atlassian, a DHL gaba-se da sua própria política arrojada, a que se refere como "liderar com cabeça, coração e coragem. "

"A cabeça é realmente a área orientada para o desempenho", explica Regine Buettner, chefe global de Recursos Humanos da DHL. "O coração é o que realmente sente e o que podemos fazer melhor. E coragem é realmente levantar-se e seguir os objetivos da sua empresa. Se os tempos são difíceis, é preciso geri-lo."

A DHL encoraja todos os colaboradores, desde gestores a trabalhadores de primeira linha, a seguirem o seu modelo de cabeça, coração e coragem, permitindo-lhes ser empreendedores. Os colaboradores da DHL são encorajados a recolher e agir proactivamente no feedback do cliente, em vez de se cingir a um protocolo de cadeia de serviço ao cliente tradicional.

Ao conceder aos colaboradores a autonomia e iniciativa para representar a empresa de uma forma de que se possam orgulhar, os colaboradores prestam um serviço de melhor qualidade aos clientes, tornando-o um win-win para todos.

As empresas globais precisam de pensamento global

Com mais de 100.000 colaboradores em 220 países e territórios, a DHL é a definição de uma empresa verdadeiramente internacional — o que significa muitos desafios quando se trata de lançar uma estratégia unificada e valores fundamentais comuns.

"Para os líderes de empresas multinacionais, é vital considerar as diferentes perspetivas regionais e a nível nacional", diz Buettner. "É preciso conhecer e compreender as sensibilidades culturais locais."

A DHL conta com um survey anual aos colaboradores para avaliar a confiança dos colaboradores em toda a empresa, examinando respostas a nível local e, em seguida, procurando padrões dentro das regiões e a nível global. Um painel de ressonância e um comité de direção com membros de diferentes países também funcionam como ligação entre as regiões e o conselho de administração global para rever coisas como o envolvimento dos trabalhadores e iniciativas de diversidade, equidade e inclusão.

"O foco principal é realmente na confiança, e como as nossas pessoas se sentem", diz Buettner. "Não é importante o que nós, como equipa de gestão, queremos... O importante  é como as pessoas se sentem, como as pessoas entendem. E é por isso que obtemos feedback:  Para ver o que podemos fazer melhor."

Embora a Atlassian não seja tão grande, ainda é global, com quase 6.400 empregados em sete países. A empresa sobre indexada no benchmark do Great Place to Work™ U. S. é referência para os colaboradores que dizem "sinto-me orgulhoso de trabalhar na organização “, além disso, os colaboradores deram à empresa uma  alta nota para a afirmação  "as pessoas são tratadas de forma justa, independentemente da raça ou orientação sexual. " Fisher diz que a Atlassian fez do DEIP (Diversidade, Equidade, Inclusão & Pertença) uma grande prioridade — com particular ênfase no “I". 

"Por cada dólar que se gasta na diversidade, gasta-se dois na inclusão", diz. "Os líderes esquecem-se muitas vezes que a equidade não se trata apenas de contratar diversas pessoas. Tem de se viver ao longo do ciclo de vida dos colaboradores."

As avaliações de desempenho da Atlassian, os caminhos de promoção e os planos de compensação destinam-se a atenuar o enviesamento desde o início. E como parte da sua política de não “Bullshit”, a equipa não tem medo de admitir quando se engana.

"Estamos sempre abertos ao facto de que, enquanto fizermos progressos, há mais a fazer", diz Fisher. "Trabalhámos com investigadores para quantificar um índice de inclusão, ajudando-nos a medir os nossos sucessos e fracassos."

Para a DHL, a inclusão significa ajustar os esforços de diversidade para se adaptar às normas culturais locais nos seus 220 países. "A diversidade não é a mesma em todo o lado", avisa Buettner.

Buettner aponta para uma experiência na Arábia Saudita, na qual a DHL queria contratar mais mulheres, mas as mulheres estavam proibidas de partilhar um espaço de trabalho com os homens. Como solução, a DHL criou um espaço de trabalho dedicado onde as mulheres podiam juntar-se à equipa; atualmente, a direção de vendas e de RH da DHL na Arábia Saudita são ambas lideradas por mulheres.

O DEIP também tem muito a ver com a compreensão da diferença entre igualdade e equidade, diz Buettner. Após a COVID atacar em força, a DHL decidiu pagar um bónus de 300€ a todos. Embora se tenha discutido inicialmente sobre a adaptação dos pagamentos a nível regional para refletir as taxas de câmbio e os custos locais de vida, no final, a DHL optou por pagar a todos o mesmo montante — a lógica prende-se por serem trabalhadores nos países em desenvolvimento que provavelmente teriam mais dificuldades do que os seus colegas em locais mais desenvolvidos.

O que é bom para o mundo é bom para os negócios

A nossa pesquisa mostra que a doação corporativa e a responsabilidade social são o principal impulsionador da experiência dos colaboradores. Quando os colaboradores podem ligar o seu trabalho ao que está a acontecer fora da comunidade, sentem um sentido de propósito acrescido. De acordo com os dados da Great Place to Work®, os colaboradores têm 1,9 vezes mais probabilidades de se sentirem orgulhosos da sua organização –  e 1,7 vezes mais propensos a dizer que o seu trabalho é mais do que "apenas um trabalho",quando se sentem bem com a forma como a sua empresa contribui para a comunidade.

Este é certamente o caso dos Melhores Lugares para trabalhar no mundo deste ano, com 91% dos colaboradores a dizerem que se sentem bem com a forma como a sua empresa contribui para a comunidade.

Na DHL, os colaboradores não são apenas reconhecidos pelo trabalho que fazem no trabalho, mas também pelo voluntariado fora do seu horário de trabalho. Todos os anos, a empresa seleciona vencedores de países e regionais para o seu trabalho pessoal de voluntariado, com a DHL a fazer doações financeiras às instituições de caridade de eleição desses colaboradores.

Para além da sua justiça social e do seu trabalho ambiental, a Atlassian tem a sua própria fundação, que oferece doações correspondentes e cinco dias de voluntariado a cada funcionário.

"As organizações precisam de fazer mais do que concentrar-se na entrega de lucros para os acionistas", diz Fisher. "Os tempos mudaram. Os colaboradores esperam mais. O mundo merece mais."

Veja a lista completa dos Melhores Lugares para trabalhar no mundo em 2021.

Quer mais ideias e práticas sobre como as melhores organizações estão a criar culturas incríveis para as empresas? Registe-se na nossa Newsletter.

 

 

Claire-Hastwell